Andrei Plesu: Que quer Vladimir Putin? Que quer a Rússia?

-É um contexto no qual a Romênia está, ou melhor, volta a estar no centro de uma zona conturbada, infelizmente. Por que a Rússia tornou-se tão agressiva, o que quer Putin, afinal?

-Está bastante claro o que ele quer. É inesperado, porém, porque ninguém acreditava, no novo contexto criado, depois de 25 anos, após 1989, que reaparecesse essa avidez de expansão, de recuperação de uma realidade mais antiga. A minha opinião é que Putin obterá tudo o que quer sem guerra, pois o comportamento dos países da União Europeia, e mesmo dos EUA, é um comportamento, de fato, acomodado. Ninguém quer violência, ninguém quer confronto, e então a política geral é de chamar a atenção.

Na época em que eu fazia ensino médio existia um conflito entre Rússia e China, e de tempos em tempos se anunciava: “a União Soviética dá o aviso número trezentos e quarenta e sete, um ultimato.” Podemos dar muitos avisos, passar às sanções e assim por diante.

O problema nessa tensão é que a experiência histórica, o tipo de personalidade que tem Putin demonstra que lá se conduz e se faz política, externa e interna, sem muitas regras. Não existem regras. As regras são decididas ad hoc. Nós, os civilizados, temos, porém, algumas regras. Não temos o ímpeto de fazer qualquer coisa, nos envergonhamos, tentamos não provocar, tentamos manter uma determinada conduta. Lá não existem esses critérios.
Falei, pois me diverti muito, faz um ano o vice-presidente americano, Joe Biden, se encontrou com Putin e falou, depois, para a imprensa, muito orgulhoso: „Olhei nos olhos dele e disse: -Você não tem coração!” Eu, conhecendo o tipo de líder que é Putin, pensei que assim que Joe Biden saiu do escritório, Putin morreu de tanto dar risada. E chamou os rapazes para uma vodka e lhes disse: „que lhes parece desses rapazes melancólicos e bem-intencionados?”
É uma ruptura de estilo, e de história, e de entendimento das coisas. Infelizmente nós não levamos a sério o que acontece hoje ali.

-Por quê? Que repercussões poderia ter isso?

-Em primeiro lugar, nós não nos damos conta do quanto isso é sério. É como o que acontece com os terremotos: todos sabem que haverá um terremoto, mas ninguém acha que acontecerá amanhã ou que nos afetará diretamente. Essa é uma boa analogia. E em segundo lugar: esse não é um tema de campanhas. Justamente porque as pessoas não pensam nisso não se discute muito o tema. Bem, isso é grave.

-Mas que resultados podem ter essas tensões que já se arrastam por um tempo bastante grande e que ainda vão continuar se estendendo sobre a Romênia?

-Bem, nós temos, como sempre tivemos, azar combinado com sorte. O azar é que estamos na fronteira da União Europeia. Somos, portanto, o front da União Europeia. O front oriental. Isso nos dá uma posição importante, certa importância na geopolítica. A sorte é que poderíamos usar isso no sentido de uma consolidação estratégica, no sentido de uma consolidação econômica, poderíamos fazer o que precisamos para que não chegássemos à situação à qual chegou a Ucrânia- e aqui, um parêntese: temos o problema da corrupção- [temos de] ver o que deve ser feito com a segurança energética e assim por diante. É uma agenda extremamente intensa e importante. Infelizmente, creio que nós não a valorizamos como os poloneses.

-Sim, todos recomendam essa parceria com a Polônia, que sabe o que deve fazer. Nem em médio prazo você vê alguém dentre os líderes que comece a se debruçar sobre esses problemas?

-Na Romênia?

-Pode ser que em curto prazo, ok, todo mundo está ocupado, é campanha eleitoral…

-Esse era um tema, a meu ver, importante na campanha, principalmente na campanha presidencial, pois o presidente tem atribuições essenciais na política externa. O presidente, normalmente, não pode mexer em salários, aposentadorias, o que quer que seja, como todos dizem. Sem falar da justiça. Mas, nesse tema, tem atribuições especiais. Isso deveria ser um tema importante na campanha de cada um, o que não acontece.

Tradução em português: Alexandre Budu

Un gând despre “Andrei Plesu: Que quer Vladimir Putin? Que quer a Rússia?

  1. Nu cumva sutele de avertismente erau trimise de RP Chineza la adresa SUA pt. violarea apelor teritoriale chineze ? Revedeti presa comunista romana din perioada in care erati in liceu.

Lasă un comentariu

Notify me of followup comments via e-mail. You can also subscribe without commenting.